quarta-feira, 20 de julho de 2011

UMA VERGONHA CHAMADA ITAQUERÃO

O buraco começou a ser cavado - e não, não falo das obras de terraplanagem e fundação do estádio Itaquerão, mas dos recursos públicos canalizados para financiar o tal empreendimento. No mesmo dia em que o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, levou às lágrimas Andrés Sanchez, presidente corinthiano, e assinou a lei que concede generosíssimos 420 milhões de reais em incentivos fiscais para a construção do estádio do Corinthians (e há quem diga que não são recursos públicos; me belisquem, por favor), a Odebrecht, empreiteira responsável pela obra, revelou que o governo do Estado de São Paulo bancará outros 70 milhões de reais para erguer o elefante branco, garantindo assim que a capacidade de público alcance os 68 mil lugares, mínimo exigido pela FIFA (comandada por executivos de ilibada reputação) para abrigar a partida de abertura da Copa do Mundo de 2014. 

Em linguagem matemática: os 820 milhões iniciais (orçamento oficialmente divulgado pelo Corinthians) já se transformaram, em menos de 24 horas, em 89o milhões de reais. Do montante total, os poderes públicos (municipal e estadual) se responsabilizarão por 490 milhões (55% do total, de cara, sem considerar as porteiras sempre abertas para novos auxílios, incentivos e aditivos). Os 45% restantes? Sabe-se lá de onde sairão - mas de que importa ter garantias e transparência, não é mesmo? O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) está aí para o que der e vier, sempre a postos para bem servir, certo? Uma conta bem rápida e simples: 890 milhões de reais significam mais de 1 milhão e meio de salários-mínimos brasileiros (valor = R$ 545,00).

Não há santos nessa história (farra seria melhor?), que é para lá de suprapartidária: a prefeitura é do PSD (era do DEM), o Estado é administrado pelo PSDB, o BNDES é órgão federal (portanto sob orientação do PT), a aproximação entre a empreiteira e o presidente do clube foi em grande medida estimulada pelo ex-presidente Lula, aliado desde o primeiro mandato do grão-duque do futebol brasileiro, que por sua vez, além de muito próximo do mandatário corinthiano, finge ter rusgas com o pessoal da FIFA, mas vislumbra no horizonte e deseja ardentemente a presidência da entidade a partir de 2015 (depois da Copa, portanto). O Itaquerão acaba sendo portanto mais uma das tantas ações entre amigos que serão gestadas por conta dos megaeventos esportivos que acontecerão no Brasil nos próximos anos.

Antes que me ataquem, não escreve aqui o torcedor, mas o cidadão inconformado. Não condeno a construção do estádio do Corinthians, especificamente, mas o uso de milhões de orçamentos públicos já tão limitados para custear devaneios privados. Esse é o "xis" da questão. São essas relações espúrias e inaceitáveis que combato. Capitalismo sem riscos e sustentado pelo Estado - eis o melhor dos mundos! E não me venham dizer "ah, mas o São Paulo fez o mesmo com o Morumbi". Um erro afinal justifica o outro? Não demora muito e o Palmeiras vai entrar também na fila, a cobrar a fatia para erguer a Arena Palestra. 

Aliás, com tantos estádios na cidade que poderiam ser reformados e modernizados (Morumbi, Pacaembu, Parque Antártica, Canindé e até mesmo o de Barueri, nas fronteiras da metrópole), por que é mesmo que será preciso construir um novo? Na Copa do Mundo de 1994, os Estados Unidos não ergueram arenas - dedicaram-se a aproveitar e adaptar estádios de futebol americano, na maior parte das vezes. Aproveitamento futuro, desenvolvimento econômico e social da região? Perguntem aos sul-africanos que vivem no entorno do Soccer City, palco de abertura do último Mundial, o que aconteceu com o estádio e como vem sendo usado depois de 2010... São Paulo precisa mesmo sediar a partida de abertura? Por que, se Tóquio, por exemplo, que é capital do Japão, não recebeu jogos em 2002?

Sei que estou chovendo no molhado, batendo em teclas já tocadas por tantos outros brasileiros sérios e responsáveis, desnudando o óbvio ululante. Mas não consigo conter a indignação. Triste: para as "autoridades" brasileiras, as questões acima não são relevantes. Importante mesmo é "cumprir as exigências da FIFA". E usar e abusar do dinheiro público - de todos nós, portanto.

10 comentários:

  1. Caro Chico,

    Quando o Brasil se propos a sediar a copa é claro que estaval concordando em colocar dinheiro público no estádio sim, alem das obras de infraestrutura que é básico.
    Foi assim em todos os países, na copa dos EUA, França, Alemanha e Africa do Sul.
    Nenhum estádio particular está pronto para atender as exigências da FIFA, nenhum. Aí vão dizer, é só não atender as exigências. Mas para concorrer a sediar a copa a premissa é atender todas as exigências, estava bem claro, ou você não sabia disso ainda.
    E se o governo de são paulo não subsidiasse algum estádio simplismente a copa não seria aqui.
    Aí vem a pergunta, quem vai pagar essa conta ficar fora dessa festa, arrecadandos bilhões com isso, fora o efeito turístico. Na Africa e França mesmo depois da copa, o turismo cresceu em média 25%. Será que só isso não vale a pena! Pense nisso.

    ResponderExcluir
  2. PAULO SERGIO ELIAS21 de julho de 2011 11:50

    CARO CHICO, VOU FAZER ALGUMAS OBSERVAÇÕES NO SEU COMENTÁRIO:
    1° fOI USADO DINHEIRO PUBLICO NO MORUMBI SIM! E O TERRENO FOI DOADO.
    2° O NOME DO ESTADIO É PALESTRA ITALIA, NÃO PARQUE ANTARTICA.
    3° NÃO INCLUA O PALMEIRAS NESSA SUJEIRA, O TERRENO FOI COMPRADO E O ESTADIO CONTRUIDO COM DINHEIRO PROPRIO (E LIMPO), E AGORA O PALMEIRAS ESTA CONSTRUINDO UMA ARENA MULTIUSO PADRÃO FIFA 2014 E TB COM DINHEIRO PROPRIO, SIMPLES ASSIM....

    ResponderExcluir
  3. Bom texto. Apesar de ser corintiano, tb acho um absurdo usar o dinheiro público na construção do estádio. Para receber os jogos da Copa, meu voto sempre foi o Morumbi.
    Discordo, no entanto, de que o Corinthians não deveria construir um novo estádio em SP, de que será um elefante branco. Desde que realizado com recursos próprios, um clube com 35 milhões de torcedores e com 100 anos de fundação tem direito a ter uma casa. Mas isso é outro assunto.

    ResponderExcluir
  4. Concordo em número e grau com sua coluna. O povo nessa hora, como sempre, acaba pensando em si mesmo. Se meu time está sendo favorecido, tudo está certo. Se meu time perdeu a chance de ter um estádio na Copa para o rival, vamos reclamar. Porém uma corja de corruptos está por trás disso e é isso que não podemos permitir. Brasileiro tem que perder essa mania de achar que se ficar quieto ganha mais, quando na real fazendo isso está se intimidando, como se estivesse impotente. Através se pequenos gestos e união dos brasileiros poderemos mudar essa situação, pois ainda há tempo.

    ResponderExcluir
  5. Bom dia!
    Tenho um blog e escrevo sobre esportes em geral.
    Dá uma olhada: http://educarmo.blog.com/

    Aah e quanto ao Itaquerão, uma Copa cheia de erros e falcatruas.

    Abraço

    ResponderExcluir
  6. concordo plenamente com vc chico,estou revoltado com essa safadeza toda,isso é uma vergonha agoa eu so queria saber pq a imprenssa não fala nada sobre isso ,so pq é o corinthians.

    ResponderExcluir
  7. Acho que a trama é pior, é um mancomunado entre Andrés Sanches, Ricardo Teixeira e Kassab para financiar carreiras políticas, lavagem de dinheiro e presidência de entidades ligadas ao futebol. O buraco é muito, muito mais embaixo, mas a sujeira transborda.
    Não existe, de fato, nenhuma necessidade de construir o Itaquerão, ainda mais com 100% de dinheiro público, esse é o maior absurdo e, como estamos em ano eleitoral, ninguém se manifesta, afinal, corinthiano dá voto!

    ResponderExcluir
  8. Tudo isso gira em torno do sistema chamodo capitalismo, favorecer alguém em troca de retorno financeiro..., todos envolvidos nessa pouca vergonha estão lucrando muito....

    ResponderExcluir
  9. NA VERDADE O ESTÁDIO QUE ESTÃO CONSTRUINDO NÃO É DO PALMEIRAS, POIS FOI REALIZADA UMA PARCERIA COM A CONSTRUTORA ONDE FOI FIRMADO UM ACORDO DE DIREITO DE USO DO SOLO, SENDO QUE O ESTÁDIO SÓ SERÁ DO PALMEIRAS DAQUI HÁ 30 ANOS.

    ResponderExcluir
  10. O AMIGO ESTÁ MUITO MAL INFORMADO. O ESTÁDIO DO MORUMBI FOI TOTALIZADO APÓS 17 ANOS. O TERRENO FOI DOADO, MAS NÃO PASSAVA DE BARROCA, E HOJE É UMA DAS ÁREAS MAIS VALORIZADAS DO BRASIL.

    ResponderExcluir