quarta-feira, 4 de julho de 2012

A FINAL DA LIBERTADORES E OS ANTI

A bola vai rolar em poucas horas, definindo o novo campeão da Libertadores da América. E estaremos todos, santistas, são-paulinos e palmeirenses, numa grande corrente para a frente, fazendo parte do bando de loucos, vestindo a camisa da Gaviões da Fiel e torcendo freneticamente pelo primeiro título do co-irmão Corinthians. Porque sempre foi assim. É natural que continue sendo. Não vamos mudar agora o rumo da prosa.

Sim, vascaínos, tricolores e botafoguenses cerraram fileiras com a Raça Rubro Negra em 1981, quando Zico e companhia jogaram o fino da bola e derrotaram as caneladas e cotoveladas dos chilenos do Cobreloa. Eu me lembro bem, os jogadores flamenguistas foram efusivamente recepcionados no aeroporto do Galeão por representantes das quatro grandes torcidas do Rio de Janeiro, em paz e harmonia, na volta de Montevidéu, onde aconteceu a terceira e derradeira partida. Foi de uma lindeza inesquecível. 

Aconteceu da mesma maneira com o Grêmio, em 1983 e 1995, quando os tricolores gaúchos receberam os incondicionais cumprimentos dos colorados; a retribuição se deu nos títulos do Internacional, em 2006 e 2010 - foi marcante a festa que os tricolores gremistas fizeram nos gols da equipe rival, todos chorando de alegria, bandeiras vermelhas, azuis, pretas e brancas entrelaçadas a tremular, exemplo de união dos riograndenses. Os atleticanos, solidários desde sempre, não deixaram os jogadores do Estudiantes dormir na véspera da final que os argentinos disputaram contra o Cruzeiro, em 2009, no Mineirão. Passaram a madrugada estourando rojões e fazendo uma batucada infernal, na frente do hotel. 

E o que dizer das três conquistas do São Paulo, em 1992/93 e 2005, quando os corinthianos tomaram a frente e lideraram uma campanha "agora somos todos tricolores", na mais espontânea manifestação de massas que o futebol já conheceu? Ainda guardo nítidas na memória as imagens de vários amigos corinthianos, em situações distintas (em festas, nas aulas, em ambientes de trabalho), vestindo camisas do time do Morumbi e apostando sinceramente nas conquistas dos esquadrões comandados por Raí, Müller e Lugano. Foi muito bacana, verdadeiro. Explosão de sinceridade. E a torcida só fez crescer quando o São Paulo disputou e conquistou os três títulos mundiais no Japão, contra Barcelona, Milan e Liverpool, respectivamente. 

Quando achei que já tinha visto tudo, fui positivamente surpreendido por uma onda ainda mais intensa e caudalosa - foi na final da Libertadores de 1999, quando não havia corinthiano que não fizesse questão de dizer, a plenos pulmões, "o Palmeiras é Brasil, vou torcer para o Verdão". Todos, sem exceção, correram para apoiar e prestigiar todos os treinos da equipe palestrina. Lembram daquela camisa que a Gaviões da Fiel mandou fazer, metade Palmeiras e metade Corinthians? Inesquecível. Eram comercializadas em todas as esquinas, venderam como água. Foram levadas para Tóquio. E o que tinha de corinthiano se descabelando em desespero e se debulhando sinceramente em lágrimas quando o Marcão falhou na final do Mundial, dando o título para o Manchester United... Foi de cortar o coração. 

Por fim, só posso agradecer também a torcida dos corinthianos pelo Santos, o que já havia acontecido em 2003, na final contra o Boca Juniors, mas que se expressou de maneira bem mais efusiva no ano passado, no embate com o Peñarol. Foi de arrepiar. Vários amigos meus , gaviões de carteirinha, cortaram o cabelo moicano, como Neymar, exibindo orgulhosamente no peito o escudo do clube imortalizado por Pelé. Eu estava no Pacaembu na grande final e me lembro da caravana de corinthianos que chegou por lá - eram vários ônibus fretados pela Gaviões e outras organizadas do Corinthians, que ocuparam um gomo inteirinho das arquibancadas, bem perto da Torcida Jovem, todos a entoar "vamos ser tri, Santos!". 

Por conta do terceiro título da Libertadores, recebi centenas de mensagens e de telefonemas de conhecidos corinthianos, a me parabenizar por mais uma estrela das Américas. Depois da derrota do Santos para o Barcelona no Mundial, não vi um corinthiano postando piadinha nas redes sociais; nenhum deles me ligou, nenhum deles me mandou mensagem no celular, não ouvi palavrões. Solene respeito, solidariedade. Foram apenas palavras de conforto, "vamos em frente, o Santos continua sendo o melhor do Brasil, tem Neymar, vai voltar firme em 2012 e estaremos novamente juntos, na mesma torcida". Emocionante.

Por isso é que, na noite de hoje, seremos todos Corinthians. É momento de retribuir os anos anteriores, as disputas passadas, as torcidas emprestadas. Porque essa história de civilizada rivalidade (não estou falando de gangues e de agressões) no futebol é mesmo uma tremenda babaquice, coisa de gente que não tem o que fazer. Nunca existiu. Em tempo algum. 


Confesso que ouço aqui ou acolá, bem timidamente, quase em sussurro, alguns corinthianos a dizer que não aguentam mais os anti, a dizer que "vencerão contra tudo e contra todos, contra o resto do Brasil". Mas são poucos, bem poucos os alvinegros do Parque São Jorge com esse discursinho vazio, uma minoria de uma minoria, alguns paranoicos que tentam se colocar no lugar das vítimas triunfantes, a ocupar espaço de coitadinhos, a fazer mimimi. É isso: mimimi.


Porque os corinthianos verdadeiros, afinal, jamais secaram qualquer time adversário; não seria agora que deveríamos secar o co-irmão. E a maioria esmagadora dos 30 milhões que fazem parte do bando de loucos sabe que torceremos juntos nesta final que promete ser empolgante, mais uma contra os hermanos. Gritaremos "GOL" (jamais "chupa"). E nos encontraremos todos na avenida Paulista, na festa da vitória - apesar do Gilberto Kassab. 


E atenção - o texto acima contém doses elevadas de ironia.

34 comentários:

  1. Texto impecável, Chico, muito espirituoso! Única ressalva: o nível de "anti" que o Corinthians enfrenta é proporcional ao tamanho de sua torcida. O Brasil não pára para secar Santos, São Paulo ou Palmeiras - ponto. Esse é o único motivo do sentimento de "contra todos" e do (injustificado, diga-se) mimimi. E adeus ao "chupa"!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem para é SP, não o Brasil.
      Não vejo Gremistas, Flamenguistas e Cruzeirenses nessa corrente ou nesse frenesi.
      Fato é que "Anti", só bactericida, mesmo.

      Abs
      Rafa Peres

      Excluir
    2. Rafa Peres, perfeita colocação!
      O autor só esqueceu de dizer que, caso ganhe o jogo (e, consequentemente, o título) não haverá conrinthianos gritando "chupa bambi" ou "chupa porco imundo", mas sim "chupa argentina".

      Excluir
  2. Para quem gosta de futebol, o texto emociona, além de muito espirituoso. Mas, como palmeirense não sei se conseguirei deixar a rivalidade de lado e torcer para o "Curintiá", ainda que seja contra os hermanos. De qualquer forma, ao ver as arquibancas do Pacaembu tomadas por paixão, talvez meu coração se contamine com esse sentimento tbm.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que seu comentário tenha sido irônico como o texto!

      Excluir
    2. será que foi? rs rs

      Excluir
  3. Daniela Oliveira4 de julho de 2012 07:00

    Cara esse TEXTO foi FODÁSTICO..
    #nada mais a declarar.

    ResponderExcluir
  4. P.E.R.F.E.I.T.O e ponto ou melhor.....exclamação!
    ass: Decio

    ResponderExcluir
  5. + um anti... hahaha... é o que te resta parceiro...

    ResponderExcluir
  6. O texto é no mínimo tão hipócrita quanto aqueles que ele quer chamar de hipócrita. É aquele tipo quer se convencer e convencer os outros de que entre o ovo e a galinha, um nasceu primeiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. relaxa que você é pouco burro! hahahahahaha

      Excluir
    2. É difícil pra quem é hipócrita, entender uma ironia. tsc tsc

      Excluir
  7. O tamanho da paranóia é tamanho que chegam ao ponto de meter o "Brasil" na estoria. Fico pensando o país de mãos dadas, parado, investindo sua "anti-correte" poderosíssima contra o pobre "time do povo". Seria o seguinte cenário:"o povo contra o povo", uma espécie de "Tordesilhas Corinthianas", rasgando ao meio a nação. Drama? Imagine...

    Marcelo Fraga

    ResponderExcluir
  8. Acho uma palhaçada todo mundo querer tirar uma casquinha do grande momento do "Curintiá", a Globo, as grandes marcas e até os políticos. E pior todo mundo entrando na onda, muito oportunismo, asco.

    ResponderExcluir
  9. Pra mim hipócrita foi o texto! Primeiro, corintiano não pede torcida a favor. Apenas alopra (merecidamente) os que torcem mais para a nossa derrota do que para sua própria vitória! E sim, têm os que fazem isso. Vide matérias de televisão mostrando a forma como torcem contra... vide quantidade de fogos e gritos quando sofremos o gol em comparação a fogos e gritos quando, por exemplo, o Santos foi campeão paulista! Segundo, o que é rivalidade? Rivalidade é querer (e ter a certeza) que seu time é superior que o adversário. E todos sabemos que, no Brasil, a rivalidade futebolística supera qualquer lógica. Assim, qualquer coisa, qualquer coisa mesmo, é suficiente para dizermos a plenos pulmões que somos maiores. Porque então vocês, "antis", não entendem isso como mais uma provocação? Logo, hipócrita e imbecil não é a gente! Saudações corintianas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você escreveu isto ANTIS ou DISPOIS de ler?

      Excluir
    2. Rodolfo, vc é corinthiano mesmo, dá para perceber pelo seu texto. Um exemplo: "Rivalidade é querer (e ter a certeza) que seu time é superior que o adversário". O CORRETO É: Rivalidade é querer (e ter a certeza) DE QUE O seu time SEJA superior AO adversário". Volte para as aulas de português, por favor. Nossa língua não merece isso. Na dúvida, pergunte ao Prof. Pasquale.

      Excluir
  10. Esse texto é totalmente irônico, né?

    ResponderExcluir
  11. Hahaha! Sensacional.

    ResponderExcluir
  12. O timão é o time de SEUS torcedores. Não precisamos dos outros, não pense que ficaremos irritados com vocês secando, estamos bem acostumados a isso, e o que nos dá mais alegria é ver vocês trocando de time, uma semana é vasco, outra é santos, e só tomando....hahahaha, como é bom ver isso. Podemos perder o título em casa, mas o trabalho foi bem feito, foi uma bela campanha, invicto até aqui, não amarelamos para os outros times como nos outros anos, e eliminamos 2 brasileiros. Empatamos na argentina. Isso diz tudo! O trabalho foi muito bem feito, o que vocês não conseguiram, nosso time conseguiu. Vocês podem amanhar acordar felizes com a "derrota" ou tristes com a vitória do corinthians, mas lembrem-se que se acordarmos felizes com a vitória, sabemos que foi o NOSSO TIME, O CORINTHIANS, que ganhou e não time de terceiros. E pra terminar, CHUPA!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Companheiro" anônimo, por favor, sem essa de "trabalho bem feito". Se o seu time perder hoje (o que eu, já adianto, não acredito), de nada terá servido a eliminação de dois rivais brasileiros, o trabalho bem feito, o empate na Argentina ou o fato do Corinthians não ter amarelado. Aqui no Brasil, o que vale é ser o primeiro e não há diferença entre ser vice ou ser último. Sem desculpinhas, tá. Torça para seu time, mas com um pouco mais de educação, por favor.

      Excluir
  13. Texto sensacional Chico! Mais uma vez você mandou muito bem!

    Segue um comentário que fiz alguns dias atrás no facebook:

    "Corinthiano está cada vez mais com mania de falar que todo mundo que não torce para o Corinthians é anti-corinthiano... Como se eles também não torcessem contra São Paulo, Palmeiras, Santos... Ou o corinthiano é hipócrita ou sofre de alzheimer..."

    ResponderExcluir
  14. Sensacional! Ironia fina! Adorei!

    ResponderExcluir
  15. Juro que eu comecei a ler, e não estava acreditando no que eu lia!
    HAHAHAHAHA

    Ufa! Ainda bem que a última frase me deixou aliviado!

    ResponderExcluir
  16. Quanta Hipocrisia, concordo com vc,,por isso que da nojo de ser brasileiro,,, por causa de um Ódio por um Time o povo vai torcer para um povo que nos chamam de MACACOS,,,que jogam BANANAS na gente e etc,,,, continuem assim seus Antis,,,,só li este testo pensando que seria algo de muito importante na minha vida pois se trata de um amigo meu que escreveu,, mas a dor de cotovelo dele o deixou cego, infelizmente caiu no meu conceito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Duvido que você seja amigo do Chico. Ele jamais teria amigos que escrevem "testo" e não "texto". E tenho certeza que, seja quem for você (afinal, não se identificou e postou como anônimo), ele não está preocupado pela diminuição de seu conceito em relação a ele. Sem mais.

      Excluir
    2. Anônimo, vc já foi pra Argentina? Acredito que não. Não acredite em tudo que você lê no jornal ou assiste na tv. Os argentinos, em sua maioria, amam os brasileiros. Existe a rivalidade no futebol, assim como vocês são chamados de galinhas, gambás, assim como chamam palmeirenses de porco, são-paulino de bambi, alguns argentinos podem chamar brasileiro de macaco. Mas não pense que é assim do jeito que está falando. E, uma dica: antes de postar algo na internet, utilize um corretor. Testo é de doer...

      Excluir
  17. Excelente texto, que já compartilhei...
    Acho que futebol é uma grande paixão, da qual eu fui contaminada desde criança e o tempo só fez aumentar. Escolhi meu time sem influência de alguém, vou a estádios, assisto jogos regularmente e entendo do assunto, contrariando a lenda que mulheres não entendem nada de futebol.
    Adoro brincar e debochar de pessoas sobre os seus times e aguento quando falam do meu Palmeiras, mas alguns corinthianos que conheço tem passado da conta, colocando o amor pelo time acima das amizades.
    Não vou torcer pelo Corinthians, mas já torci pelo Santos o ano passado, simplesmente por não terem esta arrogância que os corinthianos esbanjam... E que o Boca faça a parte deles e se desdobre... Para nossa alegriaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa! ahaha

    ResponderExcluir
  18. Só me explique pq em 2007 gremistas e colorados se abraçavam na rua após a queda do Corinthians para a 2 divisão?

    Se isso não é uma prova concreta de ser anti-corinthiano eu juro que não sei o que é, a rivalidade grenal é muito grande e mesmo assim se uniram contra o Corinthians.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assim como todos nós, santistas, são paulinos e, principalmente, os corinthianos, demos muita risada em 2002 e passamos 2003 inteiro gozando os palmeirenses por conta do rebaixamento. Assim como gozamos os gremistas em 2004, os atleticanos em 2005, os vascaínos em 2008. Isso acontece desde que o mundo é mundo e desde os tempos de Friendreich. O Corinthians não é, definitivamente, o centro do universo, embora pense como tal. Sds.

      Excluir
  19. Chico, você sempre surpreende! Um dos melhores textos que já li! Fantástico, a alma do futebol!!! Que chato seria se não existisse essa rivalidade...

    ResponderExcluir
  20. Deixa os loucos ficarem em seus hospícios. Alguns já estão com algumas síndromes: Napoleão, Alexandre o Grande e Hitler. Todos, em comum, já conquistaram o mundo.
    Outros já estão no Olimpo e prometem soltar raios sobre os que não se curvarem ao seu poder. Resta, aos demais mortais, concordarem, para não agravar o já avançado estado de demência.

    ResponderExcluir