terça-feira, 14 de abril de 2015

QUEM FOI À AVENIDA PAULISTA NO 12 DE ABRIL

Levantamento feito pelos professores Pablo Ortellado, da Universidade de São Paulo (USP), e Esther Solano, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), revela perfil dos participantes da manifestação ocorrida em São Paulo, em 12 de abril. Entre 13h30 e 17h30 do domingo, foram realizadas 571 entrevistas com manifestantes com mais de 16 anos, em toda a extensão da avenida Paulista. A margem de erro é 2,1 pontos percentuais, para mais ou para menos. Trago para cá, inicialmente, alguns números. Que os amigos e as amigas tirem suas próprias conclusões.
52% dos que lá estiveram eram homens; 48%, mulheres. Em relação a faixas etárias, a distribuição foi a seguinte: 15,4% entre 16 e 25 anos, 20,20% entre 26 e 35 anos, 19,10% entre 36 e 45 anos, 21,10% entre 46 e 55 anos, 15,40% entre 56 e 65 anos e 8,7% com 66 anos ou mais. Ao considerar a renda, verifica-se que 24,8% ganham entre R$ 3.940 e R$ 7.880 e 28,5%, entre R$ 7.880 e R$ 15.760. Quando observado o grau de escolaridade, 68,5% têm superior completo. E 77,4% são brancos (negros, apenas 4,9%).
Quando questionados sobre o grau de confiança em órgãos de imprensa, 51,8% disseram confiar muito na Veja (foi a campeã disparada nesse quesito). Enquanto 11% confiam muito e 41,2% confiam um pouco no PSDB, 0,2% confia muito e 3,7% confiam um pouco no PT. Quando políticos entram em cena, destaca-se o atual governador de São Paulo, Geraldo Alckmin - 29,1% confiam muito e 41,5% confiam um pouco nele. Em relação a Aécio Neves, esses índices são 22,6% e 48,3%, respectivamente. Dilma Rousseff tem a total confiança de 0,4% e a confiança parcial de 2,5%.
Sobre principais referências de notícias a respeito de política, 6,7% se informam muito pelo twitter, 26,6% se informam muito pelo watzap, 47,3% se informam muito pelo facebook, 56,7% se informam muito por sites e TVs e 7,5% se informam muito por meio de blogs.
A comentarista política mais admirada e respeitada é Raquel Sherazade (49,4%), seguida por Reinaldo Azevedo (39,6%), Paulo Henrique Amorim (28%), William Bonner (25,2%), José Luiz Datena (18,2%) e Olavo de Carvalho (17,2%).
Dos entrevistados, 64,1% acham que o "PT quer implantar uma ditadura comunista no Brasil". 71,3% acreditam que "Lulinha é sócio da Friboi". 85,3% defendem que "os desvios da Petrobras são o maior caso de corrupção da história do Brasil". 55,9% acham que "o Fórum de São Paulo quer criar uma ditadura bolivariana no Brasil". 70,9% defendem que "cotas nas universidades geram mais racismo". 53,2% acreditam que "O PCC é um braço armado do PT". 60,4% condenam o Bolsa Família - "só financia preguiçoso". E, pasmem, 42,6% concordam com "o PT trouxe 50 mil haitianos para votar na Dilma nas últimas eleições".
Ainda embasbacado, estou pensando seriamente em me mudar para Marte. Será que os companheiros verdinhos marcianos aceitam bolivarianos vermelhinhos por lá?

Um comentário:

  1. Mano, com esses números, com as notícias, com os vídeos que correm o Facebook e o YouTube, com as manifestações de pessoas em sua zona de conforto... é, NO MÍNIMO, muita ingenuidade seguir ideais de direita achando que o mundo encontrará a paz, a calmaria e a concordância entre todos.

    ResponderExcluir