sábado, 26 de julho de 2014

A MÃO INVISÍVEL DOS BANCOS

Quer saber qual é seu saldo? Um momentinho, por gentileza. Pode antes confirmar seus dados? Nome completo. CPF. RG. Endereço completo. Data de nascimento. Tipo sanguíneo. Time do coração. Nome da sogra. Não sabe? Sem problemas, pulamos essa. Tudo certinho. Confere. Ok, meu senhor, já localizei. Mas tem uma taxa. É quase irrisória. Sim, mesmo sendo informação por telefone, pelo Disque XYZ. Apenas a ligação é gratuita. E olhe lá. Lamento. Já é grande diferencial. Quer ainda saber o saldo? Anote, por favor. Extratos? Tens direito a dois detalhados por mês. Se precisar de extrato extra? É pago. Nada sai de graça nessa vida. Mas, veja, oferecemos uma série de contrapartidas. Cheque especial com juros bem modestos, por exemplo. Percentual acima da inflação, claro. Porque não somos instituição de caridade, oras. Lucro por acaso é pecado? A bíblia condena? Pois se até as igrejas se transformaram em entidades com muitos fins lucrativos. Alô, senhor fulano? Ainda está na linha? Não desligue. Sua ligação é muito importante. Quero aproveitar a oportunidade. Sou consultora de pessoal do banco XYZ. Trabalhamos sempre em seu benefício. Para fazê-lo feliz. Estamos aqui analisando sua movimentação de conta corrente. O senhor é um homem de bem. Por isso vou estar te oferecendo mais algumas vantagens. Limite maior, por exemplo. Dez dias sem juros. Já tem? Quinze, então. Podendo parcelar a dívida em até doze meses. Qualquer dívida. Cartão de crédito para ser usado no exterior, em qualquer país. O senhor é cliente master. O banco? Tem retorno garantido. Ganha sempre, claro. Mas isso são outros quinhentos. Se já fiz as contas de todas essas operações e multipliquei pelo número de correntistas para apurar com mais precisão quanto fatura a instituição? Não, não fiz. Sinto muito, senhor, essa não é minha tarefa. Não posso. Não adianta insistir. Por favor. O mais importante é a satisfação do senhor. Veja só, temos também seguro-saúde, previdência privada, financiamento para o seu carro zero, poupança universitária para os filhos. Tudo com condições especiais e facilitadas. Oferta única. Pacotão da felicidade. Cobrimos qualquer proposta da concorrência. Se a instituição XYZ não ganha? Já me fez essa pergunta. Eu respondi. Quer ouvir de novo? Ganha muito. Desde sempre. Capitalismo sem riscos. Até porque, se a gente quebrar, o senhor sabe, haverá sempre um programa emergencial com dinheiro público para resgatar nossa liquidez. Mas não espalhe. Segredo. Boatos são sempre prejudiciais ao sistema. Não, essa ligação não está sendo gravada. Para minha segurança. Se há ao menos preocupação com o meio ambiente? Não entendi sua dúvida. Ah, sim, Perfeitamente. É um tema fundamental para o planeta. Toda corporação deve ser socialmente responsável. Desenvolvimento sustentável. Lógico, sua vontade é muito importante. E sustentabilidade também é nossa meta. Nosso valor. Nossa missão. Posso ajudá-lo em algo mais? O banco XYZ agradece sua ligação e preferência. Nunca antes na história desse país os bancos ganharam tanto dinheiro. É grana que não consigo imaginar. Só o tal do Santander abocanhou seis bilhões de reais de lucro no ano passado. Se eu trabalhar cem anos, não vou ver quantia sequer parecida. Pois esse mesmo Santander resolveu alertar seus clientes vips, que são de fato aqueles que interessam ao sistema - 'cuidado, esse nefasto governo é prejudicial à saúde do país. Quando Dilma sobe nas pesquisas, o mercado fica nervoso. Tenso. E você, cliente, sai perdendo'. Sei não. Deixa ver se entendi... se o sistema treme quando a presidenta sobe, logo deve ficar mais calmo e sereno se ela cair e outro candidato melhorar seu desempenho nas pesquisas. Bingo. Campanha eleitoral escancarada. Espalhando medo e insegurança. Eita tática velha. O governo faz cara feia, mas acha legal dormir com o inimigo. É a governabilidade. Aceita as desculpas. Até a próxima investida bancária. E tem gente, meus amigos, que ainda acredita na neutralidade e na mão invisível do mercado. São os mesmos que acreditam nos projetos sociais patrocinados pelos bancos. Marketing puro. Em nome da força da grana que ergue e destrói coisas belas, vale qualquer negócio. Até sabotar e detonar o governo que é a galinha dos ovos de ouro. Vai ver quem sabe talvez pode ser que alguma galinha (ou seria tucano?) esteja solta por aí, prometendo nos bastidores ovos com quilates mais polpudos de ouro. Trim, trim, trim. Alô? Pois não... quem é? Do banco ABC?   

Nenhum comentário:

Postar um comentário