terça-feira, 20 de agosto de 2013

A VEJA. DE NOVO?

Capas da revista Veja nas duas semanas em que o escândalo do Metrô de São Paulo, PSDB na parada, alcançou a condição de uma das pautas mais relevantes da agenda política nacional, que o bom jornalismo deveria reportar e reverberar, a considerar o velho e fundamental interesse público.

14 de agosto de 2013. No cantinho, à direita, temos
"um escândalo empresarial que chegou ao Brasil".
Não fala em administradores públicos, tucanos, PSDB,
propinas, governo de São Paulo, 450 milhões desviados...
21 de agosto de 2013. O escândalo ganha proporções gigantescas, mas Veja prefere ignorar os fatos.
               



Capas da revista Veja quando estourou o escândalo do mensalão do PT, pauta que também guardava evidente interesse público.

25 de maio de 2005
                   
01 de junho de 2005

15 de junho de 2005

22 de junho de 2005

29 de junho de 2005

                 
06 de julho de 2005
                 
         
13 de julho de 2005
                               
20 de julho de 2005

                 
27 de julho de 2005
03 de agosto de 2005
10 de agosto de 2005

                 A diferença de tratamento é evidente, gritante. Como afirmou o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luis Roberto Barroso, em sessão da Corte realizada na semana passada, "a corrupção é um mal em si e não deve ser politizada. Não existe corrupção do PT, do PSDB ou do PMDB. Existe corrupção". Veja não pensa dessa maneira e se apropria de uma máxima de "A revolução dos bichos", clássico de George Orwell, para sugerir que "uns são mais corruptos que outros. E uns são mais limpinhos que outros". Afasta-se, assim, de princípios básicos e elementares do Jornalismo. Critérios, equilíbrio, transparência, honestidade? Às favas. Vale lembrar, já lamentando, que em boa medida a publicação da Abril é financiada, via polpudas verbas publicitárias, pelo governo federal, que insiste em recusar a discussão sobre democratização das comunicações para continuar dando abrigo generoso ao escorpião com ferrão afiado.                  

Nenhum comentário:

Postar um comentário